História do Whisky

Quem teria, de fato, inventado o whisky? As controvérsias são muitas - e a documentação histórica é escassa. Algumas fontes citam monges irlandeses como os pioneiros na fabricação do destilado. outras dão como certo que os inventores foram os fazendeiros escoceses de Highlands; segundo algumas fontes históricas, o cientista árabe Jabir ibn Hayyan foi o inventor do processo de destilação e poderia ter destilado os primeiros “ma' al-hayat”. Só o que se sabe, portanto, é o que não se sabe: desconhecemos quem foi o primeiro produtor e onde, ou quando, foi produzido o primeiro Whisky. A palavra Whisky vem de uisge, uma forma abreviada de uisge beata - que significa, em gaélico “água da vida”. Antes do início do século 18, era chamado de usquebaugh ou, simplesmente, pela expressão latina acqua vitae. O Whisky é considerado a mais nobre das bebidas destiladas devido ao seu sabor peculiar, à sensação de bem estar que provoca e as características de sua produção. É uma bebida alcoólica destilada a partir de grão fermentados: cevada, cevada malhada, centeio, trigo ou milho. Esses grãos são misturados com água e aquecidos, gernaod um xarope básico chamado mosto. Depois vem o processo de destilação, seguido da filtragem e, por fim, do envelhecimento - em barris de madeira, para a maioria das variedades. Cada tipo de Whisky ( ou Whiskey, como se escreve na Irlanda e Estados Unidos) é caracterizado pela fermentação de diferentes grão, forma de destilação, tempo de envelhecimento e tipo da madeira do barril. A bebida é rigorosamente regulamentada: seguindo a legislação escocesa, o destilado só faz jus ao título de Scotch Whisky se for engarrafando com graduação alcoólica de pelo menos 40%. Com menos que isso, seria outro tipo de aguardente, ainda que a matéria prima fosse a mesma. A graduação máxima de 54% vale apenas para destilados comercializados no Brasil. Alguns “uísques" brasileiros são comercializados, estranhamente , com 39,5%.